Salada Verde

Evento sobre Manejo Integrado do Fogo reúne voluntários das cinco regiões do Brasil

Workshop teve como objetivo a discussão e estruturação de estratégias para o futuro do voluntariado no Manejo Integrado do Fogo. Evento ocorreu em Brasília no início de novembro

Júlia Mendes·
16 de novembro de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Voluntários de todo Brasil participaram do 3° Workshop para Construção da Estratégia Federal do Voluntariado no Manejo Integrado no Fogo (MIF) em Brasília, entre os dias 7 e 9 de novembro. O evento reuniu voluntários, representantes do governo federal e entidades do terceiro setor para discutir políticas públicas de fortalecimento a iniciativas voltadas à prevenção e combate a incêndios florestais.

Promovido pelo Instituto de Pesquisas Ecológica (IPÊ), o workshop contou com cerca de 70 participantes para discutir a construção de uma estratégia que oriente o voluntariado no MIF nos próximos anos. Os debates incluíram temas como o cenário atual, desafios, áreas e ações prioritárias para o fortalecimento do voluntariado no Manejo Integrado no Fogo nos diversos biomas do país. 

A coordenadora de projetos do IPÊ, Angela Pellin, afirma que a construção de uma política pública com a participação do governo, sociedade civil e representações dos voluntários que atuam com MIF no Brasil é fundamental para a construção de uma estratégia que reconheça o impacto positivo de tais  iniciativas, valorize esses grupos e contemple diretrizes de atuação conectadas com a realidade dos territórios onde atuam. “Os resultados desse processo, sem dúvida, nos dão as diretrizes necessárias para avançar nesse tema tão importante para a sociedade nesse contexto de mudanças climáticas que estamos vivendo”, diz ela. 

A programação contou com a apresentação de resultados dos estudos feitos pela equipe e produzidos nos dois últimos workshops, realizados em abril e junho de 2023. Os participantes discutiram sobre conceitos, aspectos jurídicos e financeiros, o papel institucional dos envolvidos, ações prioritárias e as particularidades que devem ser consideradas em territórios estratégicos do país, considerando as iniciativas voluntárias de combate e prevenção aos incêndios florestais e ao Manejo Integrado do Fogo. 

Fundador da Brigada Gaviões da Chapada, formada por quilombolas da região da Chapada Diamantina, na Bahia, Francisco Silva elogiou as trocas de experiência e disse que o intercâmbio gerado pelo workshop fortalece o debate nacional sobre voluntariado no MIF. “Essa troca de ideias com brigadistas voluntários de outros territórios e outros biomas nos ajuda a refletir sobre o nosso trabalho e entender que as nossas ações não são isoladas. Por isso é importante que essa estratégia seja construída de forma participativa, por gente de diversas brigadas”. 

Segundo Tainan Kumara, liderança da Brigada Guardiões do Território Kumaruara, a atuação das brigadas comunitárias ajuda a reforçar o protagonismo dos povos indígenas na defesa da floresta. “A nossa atuação vai além da proteção ao meio ambiente. É um trabalho que demarca a ancestralidade do nosso povo e a resistência na luta pela proteção do território e do nosso modo de vida. Por isso, além do monitoramento, o trabalho da brigada também envolve educação ambiental sobre a proteção da floresta para as futuras gerações”. 

Assistente Técnica do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais – Prevfogo do Ibama, Mariana Senra de Oliveira afirmou que o workshop é um exemplo de construção de políticas públicas ambientais junto com a sociedade civil. “A participação de diversos representantes da sociedade civil nesse espaço mostra que a estratégia federal de voluntariado no manejo integrado no fogo não está sendo construída somente pelo poder público. A chance de termos um documento mais robusto e que atenda as expectativas dos diferentes grupos que atuam nesta temática é muito maior”, disse. 

Para Rafael Gava, presidente da Rede Nacional de Brigadas Voluntárias (RNBV), o evento reforça o protagonismo dos voluntários que atuam com MIF no país. “Não dá para falar de construção de políticas públicas sem ouvir a sociedade civil, de fato. Por isso, inserir os brigadistas voluntários no centro dessas discussões é importantíssimo. Afinal, o trabalho desses grupos é fundamental não apenas para o combate aos incêndios florestais, mas para a conservação da biodiversidade, que é uma pauta urgente nessa época de mudanças climáticas”, destaca. 

O Workshop faz parte da agenda do projeto Voluntariado no Manejo Integrado do Fogo – MIF, iniciativa que visa apoiar a estruturação de uma estratégia federal de voluntariado no manejo integrado do fogo no país. A ação tem uma abrangência nacional, com potencial de contribuição junto ao sistema de unidades de conservação e seu entorno, terras indígenas e territórios quilombolas, além de elementos integradores de paisagem como reservas legais e áreas de preservação permanente, no âmbito das propriedades particulares.

  • Júlia Mendes

    Estudante de jornalismo da UFRJ, apaixonada pela área ambiental e tudo o que a envolve

Leia também

Notícias
11 de outubro de 2023

Mais de 9 milhões de hectares já queimaram no Brasil em 2023

Somente em setembro a área queimada no país chegou a 4 milhões de hectares. Dos dez estados que mais queimaram, oito estão na Amazônia

Reportagens
18 de setembro de 2023

Tradição quilombola que preserva: a conservação do Cerrado pelos Kalunga

Com manutenção do modo de vida tradicional, brigada própria e manejo do fogo, território quilombola conserva 83% de cobertura de vegetação nativa do Cerrado

Notícias
11 de julho de 2023

MMA articula com Congresso aprovação de Política Nacional de Manejo do Fogo

Em tramitação há cinco anos, proposta visa regulamentar prática já comprovada de controle de incêndios em áreas naturais. El Ninõ deve aumentar número de queimadas no país

Mais de fruity slots

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.