Reportagens

“Desafio está em conter os retrocessos na agenda ambiental”, diz Nilto Tatto 

Em entrevista ao jogos game pass, coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista na Câmara afirma que ruralistas aprenderam a ocupar espaços reservados para a discussão da pauta ambiental

Júlia Mendes·
8 de dezembro de 2023

Em um Congresso munido de ruralistas e autoridades interessadas em conter as pautas voltadas para o meio ambiente, um dos maiores desafios da Frente Parlamentar Ambientalista está em conter os retrocessos que vem sendo discutidos no legislativo e pautar leis e políticas que priorizem a preservação ambiental. É o que explica o coordenador do movimento na Câmara, deputado Nilto Tatto (PT- SP), em entrevista ao jogos game pass, realizada em novembro. 

Atuante como um movimento suprapartidário apoiador de iniciativas em defesa do meio ambiente, a Frente Parlamentar Ambientalista é composta por 183 deputados e 14 senadores. No Senado, a coordenação da frente está a cargo da senadora Eliziane Gama (PSD – MA). O movimento está organizado em grupos de trabalho com temas diversos, como: água, Cerrado e Caatinga, clima, conservação, entre outros, que abrangem tanto parlamentares da Câmara e do Senado como também membros da sociedade civil organizada. Segundo o deputado Nilto Tatto, a frente parlamentar conta com o diálogo com a população para que os projetos sejam pautados a partir de uma visão socioambiental. 

“Quem mais sofre com as consequências das mudanças climáticas e com esses eventos extremos que a gente já vem assistindo como a seca na Amazônia, as inundações do Rio Grande do Sul ou aquele desmoronamento que a gente assistiu no começo do ano no litoral de São Paulo, são os mais vulneráveis e é assim no mundo todo. Então as agendas de enfrentamento da desigualdade e da crise climática precisam andar juntas porque uma depende da outra. E a frente ambientalista tem esse desafio de tentar influenciar isso aqui dentro e ao mesmo tempo articular esse debate com a sociedade civil organizada”, diz o deputado. 

Outro objetivo da frente é dar foco às questões ambientais que podem ser vistas como “oportunidades” para o Brasil, de acordo com o deputado. Isto é, trazer discussões, projetos e políticas que visem aproveitar as potencialidades brasileiras de maneira sustentável e, ao mesmo tempo, social. Como exemplo, Tatto cita a discussão da política de bioinsumos, do mercado de carbono, da transição energética, combate à fome, perspectivas de oportunidades da reforma tributária em relação ao meio ambiente, entre outros, com o olhar para a redução das desigualdades e geração de empregos. 

No entanto, o maior foco atual está em enfrentar o que Tatto chama de “agendas de retrocesso”, como o marco temporal, o projeto que flexibiliza o licenciamento ambiental, a regularização fundiária, entre outros. “Então tem as agendas de retrocesso que nós precisamos trabalhar para enfrentar porque não avançam, mas ao mesmo tempo colocar a agenda positiva para avançar”, diz. 

Composta por 324 deputados e 50 senadores, a Frente Parlamentar Agropecuária, também conhecida como bancada ruralista, não só é maioria como também já percebeu a centralidade que a pauta ambiental ocupa nas decisões nacionais e internacionais. É por isso que, segundo o deputado, cargos de comissões de meio ambiente vêm sendo ocupados por ruralistas nos últimos anos, o que representa um desafio maior ainda para a frente ambientalista. 

“A própria fotografia do conjunto dos parlamentares do Congresso se reflete também na Comissão de Meio Ambiente. E aí nós [frente ambientalista] temos uma dificuldade ainda maior de fazer com que se aprove aquilo que é a própria missão da Comissão do Meio Ambiente, daquilo que está lá Constituição Federal, em especial no artigo 225. Então muitas vezes a gente acaba correndo o risco de serem aprovados projetos que vão no sentido contrário disso.”

Mas diferente da conjuntura dos últimos anos, em que um Congresso ruralista se uniu a um governo ruralista, o atual poder executivo tem como um de seus principais objetivos a colocação da agenda ambiental no foco das decisões, o que garante um trabalho conjunto com a Frente Ambientalista. Além do restabelecimento das funções do Ministério do Meio Ambiente, há também, em pelo menos 19 Ministérios do governo com áreas específicas relacionadas à pauta ambiental, como o enfrentamento à crise climática. No entanto, há também contradições presentes na própria base do governo que, segundo Tatto, é também dever da frente entender essa conjuntura e lidar com ela. “O presidente Lula foi eleito com um programa de governo que coloca a agenda ambiental no centro, mas a chapa que o elegeu, elegeu apenas 130 deputados dos 513. Então para governar precisa-se fazer uma composição e isso traz parlamentares para a base do governo que nem todos estão de acordo com a centralidade da agenda ambiental”, diz. 

Além do diálogo com a população e atuação política, a Frente Parlamentar Ambientalista também faz um monitoramento das leis voltadas para o meio ambiente, por meio do Observatório Parlamentar Ambiental. A proposta é fornecer uma ferramenta à população que permita o maior conhecimento sobre as legislações ambientais e outras decisões que impactam de forma positiva ou negativa o meio ambiente. 

  • Júlia Mendes

    Estudante de jornalismo da UFRJ, apaixonada pela área ambiental e tudo o que a envolve

Leia também

Notícias
15 de setembro de 2023

Brasil corrige “pedalada climática” de Salles

Correção da meta climática brasileira deve ser apresentada por Lula na Assembleia Geral da ONU, que acontece a partir do dia 19. Ambição volta a ser a de 2015

Notícias
23 de maio de 2023

Relatório da MP da Reestruturação esvazia Ministério do Meio Ambiente

Apresentado hoje por Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL), relatório tira Cadastro Ambiental Rural e Agência Nacional de Águas do MMA; Ministério dos Povos Indígenas perde demarcações

Reportagens
17 de abril de 2023

Bolsonaro gastou apenas 0,16% do orçamento da União com Meio Ambiente

Número refere-se à média dos quatro anos de governo, mostra levantamento exclusivo do Inesc para jogos game pass. Militares receberam 7,30%

Mais de jogos game pass

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.