Notícias

18 Sambas-enredo do Meio Ambiente

Carnaval e meio ambiente têm uma longa história que, há anos, é contada nas letras de sambas-enredos. Veja aqui trechos que encantaram e encantam carnavais passados e presentes.

24 de fevereiro de 2017·7 anos atrás

Quem disse que carnaval não combina com meio ambiente talvez nunca tenha dado uma olhada mais de perto nas letras de sambas-enredos, que encantaram e encantam carnavais passados e presentes. Historicamente, a ligação das escolas de samba do Rio de Janeiro com a temática ambiental recebeu um “incentivo” devido a um quesito antigo no regulamento, que coercitivamente determinava que os enredos desenvolvidos pelas agremiações tivessem delimitação apenas nacional, mas mesmo após a liberação das fronteiras criativas, a natureza brasileira continua inspirando o imaginário dos sambistas. Confira:

Na vida sou a fonte de energia
Sou chuva, cachoeira, rio e mar
Sou gota de orvalho, sou encanto
E qualquer sede eu posso saciar

Mocidade Independente de Padre Miguel, 1991 – Chuê, Chuá, as águas vão rolar


Amazônia
Que verde encantador
Fauna tão linda
Um verdadeiro festival de cor

Lins Imperial, 1991 – Chico Mendes, o arauto da natureza


Amazônia Terra Santa
Dos igarapés, mananciais
Alimenta o corpo, equilibra a alma
Transmite a paz

Beija Flor, 2004 – Manôa, Manaus, Amazônia, Terra Santa: Alimenta o corpo, equilibra a alma e transmite a paz


Terra rica em frutos e pesca
Chico foi o mensageiro
Em defesa da floresta

Lins Imperial, 1991 – Chico Mendes, o arauto da natureza


Voa pássaro da paz
Voa livre e vai mostrar
Que essa área verde existe
Para o mundo respirar

Lins Imperial, 1991 – Chico Mendes, o arauto da natureza


Se Deus me deu vou preservar
Meus filhos vão se orgulhar
A Amazônia é Brasil, é luz do criador
Avante com a tribo Beija-Flor

Beija Flor, 2004 – Manôa, Manaus, Amazônia, Terra Santa: Alimenta o corpo, equilibra a alma e transmite a paz

Se não cuidar
Da fonte das águas, dos rios
Da fauna, da flora, do ar e do mar
Pra que toda forma de vida
Tenha sobrevida pra perpetuar.

Império Serrano, 2005 – Um grito que ecoa no ar. Homem/Natureza – o perfeito equilíbrio


Deixe precer o bem
Contra todas ações do mal
Preservar é sobreviver
Antes que chegue ao seu final.

Império Serrano, 2005 – Um grito que ecoa no ar. Homem/Natureza – o perfeito equilíbrio


Vamos usar a ciência
Com mais consciência no nosso habitat
Tornando o nosso planeta
Um lar aprazível pra gente morar

Império Serrano, 2005 – Um grito que ecoa no ar. Homem/Natureza – o perfeito equilíbrio

Quem chamou de São Francisco foi navegador
Na serra, ele nasce pequenino
Ilumina o destino, vai cumprir sua missão
Se expande pra mostrar sua grandeza
Gigante pela própria natureza

Mangueira, 2006 – Das águas do São Francisco, nasce um rio de esperança


Água, fonte eterna da vida
Terra, templo da evolução
O homem surgiu, brincou de criar
Descobriu tanta riqueza
É preciso progredir sem destruir
Viver em comunhão com a natureza

Portela, 2008 – Reconstruindo a Natureza, Recriando a Vida: o sonho vira realidade


Onde na pesca ou na plantação
Pedras preciosas ou mineração
Rios cachoeiras e cascatas
Frutos pássaros e matas
Enobrecem a nação

Mangueira, 1970 – Um Cântico à Natureza


Eu sou a água, sou a terra, sou o ar
Sou Portela
Um sonho real, um grito de alerta
A natureza que encanta a passarela

Portela, 2008 – Reconstruindo a Natureza, Recriando a Vida: o sonho vira realidade


Com a chegada do progresso
Abalando a estrutura mundial
Poluindo nossa terra

Salgueiro, 1979 – O Reino encantado da mãe natureza contra o reino do mal

E quem sofre é a Nação
Nesta batalha
Onde não há vencedor
E a Natureza
Com seu cenário multicor
Refloresce novamente
Com todo seu esplendor

Salgueiro, 1979 – O Reino encantado da mãe natureza contra o reino do mal

Deixa me encantar, com tudo teu, e revelar, lalaiá lá
O que vai acontecer nesta noite de esplendor
O mar subiu na linha do horizonte, desaguando como fonte
Ao vento a ilusão desce
O mar, ô o mar, por onde andei mareou, mareou

Portela, 1981 – Das maravilhas do mar fez-se o esplendor de uma noite

Salve o verde do Xingu… a esperança
a semente do amanhã… herança
o clamor da natureza
a nossa voz vai ecoar… preservar!

Imperatriz Leopoldinense, 2017 – Xingu, o clamor que vem da Floresta


O Belo Monstro rouba as terras dos seus filhos
Devora as matas e seca os rios
Tanta riqueza que a cobiça destruiu

Imperatriz Leopoldinense, 2017 – Xingu, o clamor que vem da Floresta

Leia também

Notícias
12 de junho de 2015

As 14 melhores Frases de Meio Ambiente de Manoel de Barros

Conheça fragmentos de poemas do autor que colocou o Pantanal no centro de sua obra literária e mostrou que a simplicidade tem seu valor.

Notícias
19 de janeiro de 2016

11 Frases do Meio Ambiente por Poetas

Toda semana publicamos frases célebres sobre meio ambiente. Separamos uma coletânea com frases feitas por poetas. Confira.

Notícias
2 de fevereiro de 2017

14 Frases do Meio Ambiente por Músicos

Momentos em que a música se encontra com defesa da sustentabilidade e proteção ao meio ambiente. Veja alguns trechos musicais que chamaram a atenção para a causa ambiental.

Mais de push gaming slots

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.